A história de ataques e assaltos das bolsas de criptomoedas: perdas, consequências, conclusões. Como prever os riscos e porque as bolsas não são uma alternativa para trading seguro

Quase todas as bolsas submeteram aos ataques de hackers e assaltos. Em alguns casos, os hackers conseguiram roubar mais de 500 milhões de dólares dos EUA e em outros casos, as suas carteiras foram bloqueadas e as transações foram anuladas. Em resultado de alguns assaltos (hacking), as bolsas deixaram de existir, e alguns assaltos ficaram mesmo fora de história. Não é vantajoso para as bolsas mostrar suas partes fracas, e não é facto que as mesmas não estão por trás dessas ações fraudulentas. Então, vale a pena escolher uma alternativa? Na revista você verá uns exemplos dos assaltos (hacking) mais insolentes e falcatrua franca de bolsas de criptomoedas e também as conclusões. Você é quem decide!

Взломы криптовалютных бирж: история, причины, следствия

A história de assaltos (hacking) das bolsas de criptomoedas

No mundo existem algumas dezenas de bolsas de criptomoedas. Isto apenas é tratado sobre que é realizado um relativamente grande volume de circulação com umas ou outras criptomoedas. A maior parte de mesmas está na Coreia do Sul e no Japão. A China, anteriormente foi no número de líderes por circulação de trading, mas cedeu as posições, após de aperto do controlo por parte do regulador. O trading através duma carteira criada na bolsa parece atraente, é o acesso direto à área com perdas financeiras e de tempo mínimas. Mas isto também é uma grande probabilidade de perder o dinheiro.

De toda a história da existência de criptomoedas, quase toda a bolsa foi submetida ao assalto e repetidamente. Parece que as áreas teriam de tirar conclusões e garantir a máxima proteção das carteiras. Mas os assaltos são repetidos com uma regularidade invejável. Chega ao absurdo: há exemplos repetidos, quando as bolsas suspenderam os tradings sob o pretexto de “obras técnicas”, o que causou os rumores não são infundados sobre os assaltos. Em outras palavras, as bolsas são muito reconhecidas com contragosto em que foram atacadas. Devido á ausência de regulação e controle, não há garantia que os assaltos não são ações das mesmas bolsas. Leia mais sobre a história dos ataques de hackers nas bolsas de criptomoedas.

As bolsas que não se mantiveram

O primeiro ataque de hackers bem-sucedido de grandes proporções foi realizado no ano 2011 sobre a bolsa Mt.Gox conhecida tristemente, quando foi raptado 2609 ВТС. Naquele momento, a sociedade quase ignorou esse facto. Só no ano 2014 ficou conhecido que a área foi assaltada sistematicamente. Das 850 mil do ВТС, foram encontradas apenas 200 do ВТС, o destino do resto é desconhecido. Os hackers impercetivelmente para a bolsa sistematicamente intercetaram e alteraram as transações. O resultado: aproximadamente de 25 mil pessoas deixaram de ver o seu dinheiro, a bolsa deixou de existir, ВТС cedeu 23%. Mas neste momento, esta cedência parece insignificativa, o assalto e falência da Mt.Gox foram os maiores em história de criptomoedas.

1. Coincheck: uma partida bem-sucedida do ano 2018

Esta bolsa que funciona desde 2014, é difícil de chamar maior, mas agora a mesma certamente vai a ficar em história no mundo de criptomoedas. Na mesma estão cotadas não tantas criptomoedas, mas aos hackers isto é suficiente. O dia 26 de janeiro de 2018, Coincheck confirmou a rapina de 58 mil de milhões de ienes (533 milhões de dólares dos EUA) em criptomoeda NEM. Este montante foi um recorde, superando a obtenção duvidosa anterior da Mt. Gox. E somente este facto que a bolsa permaneceu a flutuar, obriga a entregar a palma da vitoria à Mt. Gox. Notavelmente, que ambas bolsas estão localizadas no Japão.

Numa conferência de imprensa, os representantes da NEM pronunciaram que todas às bolsas foi recomendada a utilização do contrato inteligente (Smart contract) com a função de assinatura múltipla. Coincheck desdenhou a sua utilização, devido a que tornou possível o assalto. Ou seja, a culpa está inteiramente sobre a bolsa. Muitos peritos temem que o sistema de marcação de tokens roubados leva os riscos para a descentralização. Em outras palavras, os assaltadores podem obter controlo sobre blockchain.

As consequências do assalto:

  • no prazo de mais duma semana, todas as contas de usuários foram congeladas no momento de encontrar opções de saída de situação. Depois de descongelamento de contas em 13 de fevereiro, os usuários durante o dia retiraram aproximadamente 372 milhões de dólares dos EUA. O quanto isto afetou a margem de segurança da bolsa, não há informação;
  • sofreram pelo assalto aproximadamente 260 mil de usuários. Os representantes da bolsa pronunciaram que estão dispostos a compensar dos próprios recursos 400 milhões de dólares dos EUA (em cotação de 0,81 dólares estadunidenses por moeda). Os prazos e o mecanismo de devolução ainda estão em processo de acordo. Também a pergunta, de onde a bolsa tem tanto dinheiro, com o qual a mesma está preparada a separar-se tão facilmente, fica “sem resposta”;
  • o assalto da bolsa não teve influência critica sobre a cotação NEM.

Взломы криптовалютных бирж: история, причины, следствия

As consequências do assalto ainda são difíceis de avaliar. Somente é conhecido que não foi utilizada a assinatura múltipla, mas a bolsa não reconhece a sua culpa. Também não há informações nem sobre os hackers, nem sobre como ocorrerá um reembolso dos meios.

2. BitGrail: os acasos não são casuais?

Novamente, entre os líderes é a bolsa menos conhecida, que com facilidade entra no ТОP-3 pelo montante dos recursos roubados. Forma-se uma impressão de que as bolsas de nível médio permitem especificamente os assaltos, após do que anunciam a falência, e o BitGrail não é uma exceção. Tal salário em hacking com o nome “Bolsa de criptomoedas”. Por outro lado, isto pode ser uma opinião prevenida.

O dia 10 de fevereiro de 2018 (o ano desde o ponto de vista dos ataques de hackers começou produtivamente), a bolsa italiana BitGrail foi forçada a declarar sobre que, em resultado de transações não autorizadas, a Nano foi retirada por um montante total de 170 milhões de dólares dos EUA, após do que a bolsa pronunciou sobre a falência dum ano depois desde o momento da sua partida.

Взломы криптовалютных бирж: история, причины, следствия

Há duas perguntas:

  • A julgar pela imagem acima, BitGrail não entra no ТОP pela circulação de trading diária. Porquê o ataque foi mesmo em relação à esta criptomoeda?
  • Porquê o roubo da criptomoeda menos popular (basta verificar a percentagem da circulação pelas bolsas de lista TOP) levou a tais consequências cardiais?

Não há respostas para as mesmas. É conhecido apenas que o resto das moedas não sofreram, mas esta situação não pode ser resolvida. Os elaboradores de Nano ofereceram realizar entroncamento duro (vale a pena lembrar a situação após do assalto de DAO com ЕТН e ЕТС). Notavelmente, na declaração de Nano é dito que eles têm “bastantes motivos para supor que Firano (fundador e proprietário da bolsa) confundia à equipa Nano durante um tempo prolongado”. Mas para os proprietários das carteiras é o mesmo destas discussões.

3. Bitfinex: a bolsa mais misteriosa do mundo

Bitfinex é uma das maiores bolsas de criptomoedas do mundo, mas a mesma brevemente poderá repetir o destino do ВТС-Е (sobre o qual é dito abaixo). Após as maquinações com Tether, os reguladores começaram a monitorizar a bolsa, que têm muitas queixas em relação ao branqueamento do dinheiro, especulações e estado financeiro. Mas não se trata disso. No verão de 2016, a bolsa também caiu no campo visual dos reguladores após um assalto estranho, cujo resultado foi raptado a criptomoeda com a montante de 62 milhões dos EUA. Este montante entrou em ТОP-5 pelo tamanho de volumes raptados nos 2 últimos anos. A cotação do Bitcoin caiu simbolicamente de 18% desde 750 até o nível abaixo de 550 dólares dos EUA.

  • O princípio do ataque. Como o promotor de segurança da bolsa atuou a companhia BitGo, que também neste momento, é uma das empresas principais nesta área. De que modo, em resultado, as chaves dos usuários chegaram aos assaltadores, é difícil dizer, mas BitGo se apressou a informar que a vulnerabilidade não estava no lado de mesma. Os resultados da investigação não são divulgados. É conhecido apenas que o ataque era preparado por um grupo de pessoas durante alguns meses e quase 120 milhões roubados de ВТС foram divididos em pequenos depósitos em dezenas de bolsas pouco conhecidas.

Em janeiro do ano 2017, foi afixado um movimento por 800 ВТС em algumas balsas, incluindo a desgraçada ВТС-Е. Kraken reagiu primeiro, bloqueando 0,4 ВТС. Uma gota de água no oceano, mas a mesma trata de que moedas roubadas (e não somente nesta bolsa), em maioria dos casos, permanecem no sistema e esperam um momento adequado para a retirada.

4. Bithumb: hackers hábeis ou bolsa oculta?

No momento do assalto no verão do ano 2017, a bolsa sul-coreana Bithumb estava no ТОP-5 pelos volumes de trading com o Bitcoin e considerava-se como a bolsa maior do país. No dia 29 de junho (assim era a informação oficial naquele momento), os proprietários de carteiras repararam que eles começaram a perder respetivamente grandes montantes de criptomoedas. Os malfeitores tentaram não atrair atenção para si mesmos, satisfazendo-se apenas com ETC e BTC em tais quantidades, para que a perda não fosse descoberta rapidamente. Porque a revista completa sobre o assalto foi divulgada apenas no dia 4 de julho.

  • O princípio do ataque. Os hackers de uma forma desconhecida conseguiram comprometer o computador dum dos funcionários da bolsa, após do que conseguiram obter o acesso a aproximadamente de 3% da base de clientes. Em resultado da investigação naquele momento, não foi possível saber como foi obtido o acesso à base de dados. É conhecido apenas que os hackers copiaram todos os dados dos usuários, incluindo os números de telefone e endereços postais.

Tendo os dados dos usuários, os malfeitores ocuparam-se com “é o empréstimo (phishing) telefónico”, sob pretexto de representantes da bolsa, eles atraíam senhas de uso único e roubavam dinheiro.

A situação com o assalto de Bithumb recebeu uma continuação inesperada em dezembro do ano 2017. Foi descoberto que os hackers atacaram a bolsa ainda em fevereiro, mas isso só foi conhecido em junho. Além do mais, foi anunciado que o montante roubado constitui aproximadamente 7 milhões de dólares dos EUA pela cotação de fevereiro, que respetivamente com o tempo tornou-se em 80 milhões de dólares dos EUA. O Serviço Nacional de Inteligência da Coreia do Sul acusou de assalto aos hackers da Coreia do Norte, mas a história não se desenvolveu mais.

Fica sem esclarecer se Bithumb deliberadamente ocultou o assalto em fevereiro, porque é difícil não notar a perda de 7 milhões de dólares dos EUA. Para a bolsa é uma perda de reputação e compensar as perdas com antiga cotação à conta de criptomoeda em algumas vezes aumentada é mais fácil. Resumindo, Bitcoin aguentou a notícia sem problemas e a bolsa ainda até este momento está em TOP.

Взломы криптовалютных бирж: история, причины, следствия

5. Binance: como os hackers causavam aumento artificial de VIA

Esta bolsa de criptomoedas é respetivamente nova, o inicio do seu funcionamento começou na primavera do ano 2017. E parece que a mesma devia considerar os erros das plataformas anteriores (ou seja, a bolsa entra em TOP-30 pelo volume de trading diário e em TOP-3 por volume de trading com BTC), mas os hackers também em sua defesa conseguiram abrir uma brecha.

No dia 7 de março, a bolsa informou sobre um possível assalto, em resultado de que os sistemas automáticos de traders começaram a vender rapidamente todos os altcoins e comprar Viacoin (VIA) com o dinheiro obtido. A cotação da criptomoeda aumentou instantaneamente mais de 1000%, mas os representantes da bolsa conseguiram reagir a tempo.

  • O princípio do ataque. Durante dois meses, os malfeitores realizaram uma série de campanhas de phishing, disfarçando os domínios falsos sob o domínio Binance original (ataque homográfico). Deste modo, eles conseguiram reunir os dados de contas da maioria de usuários. Eles não tocaram o dinheiro em contas comprometidas, mas apenas criavam chaves API, que eram usadas no dia 7 de março para a compra da VIA/BTC.

O sistema de gestão dos riscos Binance notou uma anomalia após de 2 minutos e imediatamente bloqueou todas as transações. Os malfeitores planearam acumular o dinheiro das 31 contas, através das quais depois o retirariam para Fiat, mas não tiveram tempo para fazê-lo, as carteiras foram instantaneamente congeladas. Um dia depois, o funcionamento da Binance voltou ao modo normal, o dinheiro dos usuários não foi afetado, e a bolsa anunciou sobre o premio de 250 mil de dólares dos EUA pela ajuda na captura de hackers. A cotação da VIA retornou ao seu nível anterior, e após do fim de semana, o mercado de criptomoedas cedido começou a recuperar-se.

Mais um exemplo interessante de manipulação é uma intermitência artificial no momento oportuno. Na primeira dezena de fevereiro de 2018, Binance suspendeu completamente o funcionamento durante 1 dia. Um dos principais elaboradores de software antivírus, John McAfee, imediatamente se apressou a pronunciar a opinião competente que a bolsa foi submetida pelo assalto, mas oculta-o dos seus usuários. Mais tarde, ele pediu desculpas pelas suas palavras, mas, surpreendentemente, a intermitência técnica surgiu no momento duma forte cedência do ВТС, devido à emissão de dinheiro no mercado de Mt. Gox. Sobre que a quem isto foi vantajoso, falta só adivinhar.

Взломы криптовалютных бирж: история, причины, следствия

6. ВТС-Е: não com assalto único

  • A história da prisão do administrador da plataforma, Aleksandr Vinnik, está a acelerar-se. Literalmente, no início de março do ano 2018, apareceu informação que a companhia Always Efficient LLP londrina estava por trás do roubo das moedas Mt.Gox (metade das quais estavam na área concorrente da BTC-E). Conforme a opinião do Gabinete Federal de Investigação (FBI), a empresa participou em vários tipos de operações de branqueamento de dinheiro através do BTC-E, incluindo também, as moedas roubadas em Mt.Gox. Assim ou não, o tempo mostrará, mas o ponto na falência da bolsa ainda não foi colocado. Por isso volto à cronologia dos acontecimentos.

ВТС-Е é uma das bolsas mais antigas de criptomoedas fundada no ano 2011. A bolsa foi atacada e assaltada com a regularidade invejável, mas os montantes eram tão insignificantes que isto não se tornou domínio publico. É conhecido que os assaltos, datados do ano 2012, dezembro do ano 2013, agosto do ano 2016, etc. Em geral, o ataque ocorreu a conta de software de vírus (diferentemente de ataques atuais, onde em número de líderes é phishing).

A trovoada desencadeou-se no dia 25 de julho do ano 2017. Neste dia, a bolsa encerrou bruscamente para a realização das obras técnicas, no entanto tais não foram planeadas. No mesmo dia, a sociedade soube sobre a prisão do administrador da bolsa, Aleksandr Vinnik que foi acusado em que ele branqueou através da BTC-E mais de 4 mil de milhões de dólares dos EUA em ВТС, incluindo o dinheiro Mt.Gox. Mais tarde Vinnik dirá que BTC-E não é uma bolsa, mas apenas uma área para a transferência de dinheiro, por isso não pode ser responsável pela origem das moedas. O esquema de branqueamento de dinheiro é complexo. Apesar o que todas as transações são anónimas, já neste momento, existem confirmações de que as carteiras do Vinnik participaram não apenas em operações com Mt. Go, mas também com as moedas roubadas das bolsas Bitcoinica e Bitfloor nos anos 2011-2012.

Alguns dias, a bolsa estava em situação incerta, prometendo voltar ao funcionamento anterior. No entanto, após a prisão dos servidores pelo Gabinete Federal de Investigação (FBI) localizados nos EUA, a bolsa praticamente deixou de existir. Durante o agosto, apareceram avisos repetidos sobre a transferência de contas congeladas para a nova plataforma WEX que parece ter começado a funcionar no dia 15 de setembro, mas por informações não confirmadas, o assunto ainda não foi resolvido completamente. Até este momento, a WEX não entra nas proximidades do número de bolsas de lista de TOP.

O facto de encerramento da bolsa não afetou as cotações, isso pode ser visto no gráfico abaixo.

Взломы криптовалютных бирж: история, причины, следствия

7. NiceHash: serviço de criptomoedas sob ataque

NiceHash (Eslovênia) é o maior mercado de trading de criptomoedas de mineração, no dia 6 de dezembro de 2017 foi forçado a publicar um relatório de imprensa em que o mesmo admitiu que estava sujeito a um ataque de hackers. Apesar de que não é uma plataforma, o seu assalto merece atenção especial. NiceHash permite arrendar ou alugar potências para a mineração de criptomoedas. Pode guardar as moedas obtidas na carteira local protegida de BitGo Bitcoin (que é considerada uma das melhores da sua classe, mas já tendo problemas com o assalto de Bitfinex). O montante roubado constituiu aproximadamente 62 milhões de dólares dos EUA, com qual o serviço entrou em ТОP-5 de perdas maiores do ano 2017. Notavelmente, isso não afetou à cotação do BTC, Bitcoin, ao contrário, cresceu junto à capitalização de mercado nestes dias. Um exemplo evidente de que os investidores reagem apenas aos assaltos das bolsas, ignorando os ataques aos serviços locais.

Взломы криптовалютных бирж: история, причины, следствия

8. Youbit: novamente o mesmo erro

Os meus pensamentos sobre o tema do assalto e falência desta bolsa eu já escrevi neste artigo. Mas vale a pena lembrar-se sobre a mesma por vários motivos:

  • no ano 2017 a mesma foi assaltada duas vezes, após do que terminou a sua existência. Ao contrário das maiores áreas, que tiraram conclusões desde a primeira vez, Youbit preferiu cometer o mesmo erro pela segunda vez;
  • a queda do Bitcoin constituiu 7,5% Embora a bolsa não é a maior (não confundir com Yobit), a reação dos traders foi brusca nas vésperas das festas de Ano Novo;
  • desde o momento da falência passaram mais de 2 meses. A bolsa prometia compensar uma parte das perdas, mas desde aquele momento não houve nenhuma informação se isso foi feito.

9. BitConnect: negociata do ano 2017

A história desta bolsa de criptomoedas é um exemplo demonstrativo de que existem pirâmides também entre as bolsas. A realização das transações foi interrompida em janeiro do ano 2018. O montante exato de prejuízo é desconhecido, contra a companhia estão apresentadas as reclamações coletivas e processos judiciais continuam. Mas evidentemente, é pouco provável que os investidores obterão o seu dinheiro.

A companhia BitConnect foi fundada no Reino Unido no ano 2016 e antes da localização dos tokens, era conhecida por poucos. Mas uma campanha de mercadologia (marketing) bem-sucedida fez o seu trabalho. Após do lançamento bem-sucedido da ICO, a capitalização do projeto subiu bruscamente, fornecendo à criptomoeda ВСС um lugar no TOP-30. Em tempos melhores, o preço do token superou a referência 400 dólares dos EUA, a capitalização mal chegava até 30 mil de milhões. Além da mesma criptomoeda, a companhia lançou uma bolsa de criptomoedas homónima BitConnect Exhange que, embora não entrasse no número de maiores, mas ocupava o seu nicho firmemente.

Para atrair clientes, os elaboradores usaram um sistema de muitos níveis:

  • na BitConnect Exchange, os investidores compraram BCC por um período de 4 a 10 meses, quanto maior é o prazo, maior é o lucro diário acumulado (essa é um dos sintomas do esquema Ponzi que foi ignorado pelos investidores). O lucro esperado conseguiu constituir 4000 anuais;
  • funcionava um esquema para atrair referals com a possibilidade de ganhar 3-5% do montante atraído (mais um sintoma da pirâmide).

Aquele facto que os investidores retiravam dinheiro sem problemas e a mesma bolsa não causou dúvidas, empurrou a cotação de tokens para cima.

A trovoada estourou no outono do ano 2017 Vitalik Buterin e Charlie Lee (o criador do Litecoin) criticaram o projeto, após do que a sociedade fez a pergunta: quem são os elaboradores do projeto? Mas a sua existência real não conseguiu ser provada. A cadeia de proprietários era confusa e evidentemente escondia os possuidores verdadeiros. Startup continuou a política de mercadologia ativa que de nenhum modo correspondia com um projeto sério (por exemplo, discursos cómicos de palhaços na Tailândia), pelo qual recebeu imediatamente uma advertência do regulador britânico. BitConnect não prestou atenção à advertência e em janeiro do ano 2018 recebeu uma ordem para interromper a atividade de SEC. Dentro de 2 dias, após disto, BitConnect encerrou completamente o funcionamento de forma instantânea.

Взломы криптовалютных бирж: история, причины, следствия

Nesta história, é notável um facto que os investidores não prestaram atenção nem à falta dum White Paper detalhado, nem aos sintomas claros da pirâmide, nem à ausência de dados sobre os elaboradores, aumentando os tokens em TOP-30. Interessante, quanto mais projetos semelhantes existem no número de projetos de lista TOP? Quantas mais bolsas são pirâmides?

É possível reembolsar o seu dinheiro?

A pergunta lógica: é possível reembolsar o dinheiro após do assalto da bolsa? Tudo depende dos mecanismos de defesa da mesma bolsa. Se os malfeitores já cativaram as bolsas e retiraram o dinheiro, tecnicamente é impossível devolver os fundos. Também, favorece aos hackers o anonimato das criptomoedas, após de que as moedas roubadas são misturadas com as “brancas”, monitorizar as transações torna-se difícil.

Mas nem tudo está tão mal. Mas frequentemente, as bolsas conseguem a bloquear as transações suspeitas. Em caso de dinheiro em carteiras de hackers ainda não ser retirados, a bolsa consegue a bloquear a carteira e reverter as transações. Realmente, esclareço: apenas em caso quanto isto é vantajosamente para a bolsa. Pois não é à toa que “obras técnicas" aparecem no momento mais inoportuno. Não é segredo que bolsas mais pequenas mesmas não estão em contra de ganhar, investindo o dinheiro em trading nas áreas mais grandes. E ninguém sabe, qual reserva de criptomoedas existe nesta ou naquela bolsa de facto.

O último comentário que pode ser interessante aos investidores. Conforme as investigações de Ernst & Young (EY), em resultado de ataques de hackers no ano anterior, aproximadamente 10% de todo o dinheiro que foi atraído pelos organizadores no momento da colocação inicial dos tokens (ICO), foi roubado. Em média de 3,7 mil de milhões de dólares dos EUA foram roubados aproximadamente 400 milhões. Dos projetos individuais, os hackers conseguiam roubar até 1,5 milhões de dólares dos EUA por mês. A culpa disso é exclusivamente dos elaboradores. Por isso vale a pena confiar nos novos projetos? Decida você.

As conclusões:

  • Da análise realizada, é visto claramente que praticamente cada bolsa de criptomoedas era submetida a tentativas de assalto. Quantos assaltos e suas tentativas houve, das quais não sabemos, é desconhecido. Por exemplo, não há informações sobre os assaltos das bolsas Yobit, Huobi e Bitstamp (há apenas informações gerais sobre o assalto de duas bolsas no ano 2015 sem comentários. Bitstamp perdeu 5,3 milhões de dólares dos EUA), HitBTC, ОКЕх (assalto no inicio de outubro do ano 2017 em 3 milhões de dólares dos EUA não interessou até à polícia), no entanto, conforme os dados de Coin Market Cap, tem uma grande circulação.
  • No ano 2017, a sociedade de criptomoedas quase não reagiu aos assaltos de bolsas, em relação ao ano 2018. É uma pergunta retórica, se vale a pena ligar os assaltos de janeiro e março com a queda das cotações. Mas na minha opinião, o motivo está em outros fatores.
  • Os maiores assaltos alcançam os montantes de 50 - 500 milhões de dólares dos EUA. Perdas de vários milhões já são aceites como inevitáveis e compensadas à conta de crescimento das cotações.
  • A revista é dedicada apenas aos maiores assaltos da história, mas em fóruns de perfil é possível encontrar dezenas de histórias sobre assaltos locais de carteiras privadas. Vale a pena arriscar, guardando o dinheiro nas contas das bolsas?
  • Como antes, os objetivos dos hackers, em maioria dos casos, seguem sendo BTC e ETH.
  • Vale a pena elogiar as Poloniex, OKEx, GDAXE pela segurança (ou ausência de informação sobre os assaltos sérios). Os assaltos locais ocorrem, mas é mais provável que a falha é dos usuários que não usaram a identificação de dois fatores.
  • É suficiente as bolsas sair offline por várias horas, que dentro de vinte e quatro horas apareçam rumores sobre os assaltos. Não é um facto que os mesmos estão confirmados, mas depois de BTC-E, os traders preferem estar seguros.
  • O modo mais popular de assaltar as contas é phishing e a engenharia social (usando fraquezas humanas). Os malfeitores sob pretexto de representantes da bolsa recebiam o acesso a computadores de funcionários (essa tarefa pode levar meses) e obtinham as chaves. O assalto duma conta privada é ainda mais fácil: usar o Google Play (assalto de contas do Poloniex).

A cooperação com as bolsas de criptomoedas está cheia de várias surpresas desagradáveis, começando desde uma intermitência técnica e uma interrupção repentina de trading, terminando com assalto de carteiras. Devido à ausência de transparência, as bolsas cedem o lugar ao trading clássico com a ajuda da corretora. Que as corretoras ofereçam um conjunto limitado de criptomoedas para trading, são mais confiáveis. O que escolherá você?


P.S. Gostou de meu artigo? Compartilhe-lo em redes sociais, isto será melhor agradecimento :)

Faça as perguntas e deixe abaixo os comentários sobre material. Responderei com prazer e darei as explicações necessárias.

Links úteis:

  • Recomendo experimentar o trading com corretora de confiança aqui. O sistema permite a operar individualmente ou copiar operações dos traders bem-sucedidos de todo o mundo.
  • O chat de traders com análise excelente, revistas Forex, artigos didáticos e outros materiais úteis para traders. https://t.me/liteforexbrazil. Compartilhamos os sinais e experiências.
Os “assaltos” (hacking) das bolsas de criptomoedas: história, causas, consequências

O conteúdo deste artigo é exclusivamente a opinião particular do autor e pode não está coincidir com a posição oficial da LiteForex. Os materiais a publicar nesta página, são fornecidos exclusivamente com os fins informativos e não poderão ser considerados com um conselho sobre investimentos, nem como uma consulta para objetivos de Diretiva 2004/39/UE.

Tem as perguntas para o autor? Você poderá a fazê-las nos comentários .
Iniciar trading
Em redes sociais
Chat "ao vivo"
Deixar comentário