Todos nós sabemos muitos exemplos sobre os traders que alcançaram grandes sucessos e tornaram-se milionários.

Podemos relembrar o Richard Dennis que conseguiu converter o montante miserável de 400 dólares num enorme capital que está avaliado atualmente em quase de 200 milhões de dólares, Alexander Elder que é o autor de alguns best-selleres traduzidos para dezenas línguas, Nicolas Darvas — um trader que tinha ganhado o capital inicial em danças e posteriormente, começou operar ativamente no mercado de valores mobiliários. Ele conseguiu tornar-se um dos investidores mais bem-sucedidos nos seus tempos. Em 18 meses consecutivos, ele converteu 36 mil de dólares em 2 milhões. Esta lista poderá ser prolongada infinitivamente.

No entanto, a lista ainda maior vai constar os nomes dos traders que nada alcançaram em sua atividade, entre os quais se destaca especialmente uma camada denominada «desfortunados». É importante referir que se um trader mesmo não ganha muito dinheiro e talvez, simplesmente perde-o, mas ao mesmo tempo, analisa ativamente os mercados financeiros e aplica grandes esforços para seu aperfeiçoamento, nós não podemos chamar este trader como um desafortunado. A sua hora chegará obrigatoriamente.

Mas eu estou a falar mesmo sobre outros representantes desta profissão: esta gente que veio no mercado para ganhar dinheiro fácil e não deseja trabalhar muito e duro para aperfeiçoar si próprio. Estes traders culpam outros em seus fracassos, excepto si mesmo. Eles poderão ter as condições perfeitas para o trading (depósito inicial grande, tempo livre, boa saúde), mas tudo isto não trará nenhuns resultados.

Mas hoje, desejo falar sobre mesmo outra categoria de traders. Esta gente que apesar de tudo, conseguiu alcançar grandes sucessos no trading, tendo um defeito muito grave como a maioria de pessoas poderá compreender. Toda esta gente é cega!

 

Laura Sloate

Laura Sloate (em centro)

Laura Sloate administrava a carteira das ações que custava $405 milhões. Atrás dela é administração da companhia de investimento própria Sloate Weisman Murray & Co fundada ainda no ano 1974 e também, a gestão da fundação Strong Value que conseguiu mostrar o lucro de 13% mesmo nos tempos de crise financeira mundial no ano 2008. Com tudo isto, Laura Sloate não pode ler fisicamente as cotações dos valores mobiliários ou uma revista analítica sobre mesmas, porque ainda com seis anos de idade ela perdeu completamente a visão.

Conforme as palavras da Laura Sloate, as ações, igualmente à matemática, começaram atrair ela ainda na idade escolar. O pai da menina foi um investidor e pediu frequentemente a Laura avaliar o custo da sua carteira. A financista futura realizava mentalmente os cálculos mais rápido do que seu pai podia contar o mesmo em coluna no papel.

Ainda na infância, Laura começou fantasiar sobre carreira na Wall Street. Finalmente, isto permitiu a ela, apesar de cegueira, conseguir o mestrado em história e obter um convite a entrevista em companhia de investimento que procurava um analista de mercado das ações.

Os anos depois, Laura Sloate reconheceu que o chefe do departamento analítico não somente recusou contratar ela, mas mesmo aconselhou-lhe esquecer para sempre sobre investimentos: «Existe três razões por quais tu não consegues: és uma mulher, és cega e não tens experiência».

No entanto, Laura continuou confiar em si e suas capacidades próprias. "A cegueira não é um obstáculo. A mesma apenas está a motivar-te para procurar as decisões extraordinárias",- suponha a financista.

Como acontece muitas vezes, passando muitas recusas, Laura Sloate conseguiu todavia um emprego de analista. Durante curto prazo, ela tornou-se um dos maiores peritos financeiros na Wall Street. Posteriormente, Laura Sloate trouxe muitas vezes ao seu empregador o lucro anual 20% em ações e isto resultou em que ela converteu-se um milionário.

 

Lauren Oplinger

 

Lauren Oplinger é proveniente de cidade Summit do estado Nova Jersey, ela foi admitida em JP Morgan no ano 2008. No mesmo ano, ela terminou College of Holy Cross no estado Massachusetts.

Um ano depois, em fevereiro, a vida da Lauren mudou. Uma doença grave quase faz a perder a vida dela. Durante um mês, Lauren lutava pela vida, mas em abril, quando ela abriu finalmente os olhos, a mulher jovem acabou por não ver nada. A falta de oxigénio causada pelo ataque cardíaco, danificou o nérvio ótico. Lauren Oplinger, corajosa na vida quotidiana, sentiu um horror.

"Quando eu abri os olhos, mesmo não conseguiu ver a luz«,- recorda Lauren.

Ela passou o verão na Nova Jersey, durante este tempo a sua visão se recuperou parcialmente. Agora, ela podia diferenciar a luz e escuridão, ver as sombras. Lauren voltou ao trabalho em setembro do ano 2009, começando entrar lentamente no processo laboral. Na área de trading em JP Morgan, o posto de trabalho da Lauren está ocupado por três grandes ecrãs de 24 polegadas, um teclado com as etiquetas coloridas e o equipamento com software especial que transforma o texto para a voz e «lê» o correio eletrónico. Tudo isto ajuda-lhe trabalhar no auge do dia laboral que Oplinger começa às 6.30 de manhã. A persistência em atingir os objetivos e a laboriosidade não foram inúteis. Já em janeiro do ano 2009, Lauren foi elevada na carreira.

Atualmente, Lauren trabalha em Departamento das Obrigações Municipais do Banco JPMorgan Chase & Co na Nova Iorque, onde é necessário prestar atenção a cada minúcia e o valor dum erro poderá ser demasiado alto.

"A maioria vê neste uma força e isto é uma determinação mais certa da minhas capacidades próprias",- diz Lauren.

 

Vishal Agrawal

 

Vishal Agrawal com 29 anos de idade, perdeu a visão nove anos atrás, mas isto não lhe atrapalhou dedicar-se ao trading e mesmo com bastante sucesso. O software especial permite ao Vishal Agrawal escutar as alterações das cotações em terminal de trading. A administração está satisfeita pelo trabalho do trader e os seus limites de trading crescem constantemente desde sua admissão no banco.

O formador do Vishal foi Ashish Goyal é um trader cego que trabalhava como gestor de carteiras em JPMorgan e BlueCrest Capital Management. Já sendo cego, Vishal continuava sua formação, estudiando os livros sobre finanças e tecnologias com ajuda de função de leitura de textos em Kindle e também, escutava as noticias de negócio. Apesar de seu objetivo claro fazer uma carreira em trading e investimentos, nenhum banco local não foi preparado contratar ele.

No ano 2008, após de terminar a entidade de ensino superior, ele perdeu a visão completamente. No entanto, não deixou o sonho para trabalhar na qualidade de trader.

Como aconteceu, as companhias locais de corretagem e trading não desejavam contratar o trader cego. Então, Vishal Agrawal com 22 anos de idade, pediu os conhecidos lhe emprestarem umas centenas de milhares de dólares e começou operar com ações independentemente, utilizando a estratégia long/short. Três anos depois, ele devolveu o dinheiro aos investidores, porque tinha preparado para obter MBA em área de finanças. Naquela altura, o seu lucro de trading superou 400%.

A estratégia de investimento long/short se utiliza pelos fundos de cobertura e é uma versão de investimentos diretos. Se compram as ações não valorizados suficientemente e se vendem as sobrevalorizadas.

Vishal Agrawal decidiu que obtendo mais um grau académico numa instituição famosa, ele será capaz mesmo conseguir o emprego numa companhia digna. No entanto, terminando Jamnalal Bajaj Institute of Management Studies, uma das escolas superiores da gestão na Índia, ele ficou único de 120 finalistas que não conseguiu encontrar um emprego.

Durante longos sete meses, Vishal Agrawal procurava cada dia um trabalho. Sem sucesso. Ele tentou contratar-se em departamentos das operações de trading com ações e procurava outras oportunidades. Finalmente, o banco Standard Chartered lhe contratou para o trading no Forex.

Começando o seu trabalho, Vishal Agrawal como todos os traders principiantes sem experiência, escrevia eventuais operações sem efetuar as mesmas na realidade. Assim, se provaram os seus habilidade e formou-se a certeza em decisões a tomar. Em breve, ele foi transferido para operar com os ativos reais. Além disso, ele continuava investir individualmente dinheiro próprio em ações com o consentimento de Departamento do Controlo de Regras do Trading. Vishal Agrawal trabalhou 3 anos no Departamento do Trading da Standard Chartered.

«Agora, olhando a mim no fim de dia, você não saberá, se eu perdi ou ganhou o dinheiro»,- diz Vishal Agrawal com um sorriso. — «O meu chefe explicou que mesmo assim parece um trader profissional».

Para nós é difícil imaginar, quais são os obstáculos que os nossos heróis precisavam superar. Eles alcançaram um sucesso num negócio tão difícil como o trading, somente graça a sua força de vontade e enorme desempenho laboral.

Todos nós temos muito para aprender desta gente, porque estes exemplos mais uma vez provam que grande vontade e forte motivação permitem alcançar quaisquer objetivos estabelecidos.
 

As histórias de vida dos traders e financistas cegos

O conteúdo deste artigo é exclusivamente a opinião particular do autor e pode não está coincidir com a posição oficial da LiteForex. Os materiais a publicar nesta página, são fornecidos exclusivamente com os fins informativos e não poderão ser considerados com um conselho sobre investimentos, nem como uma consulta para objetivos de Diretiva 2004/39/UE.

Tem as perguntas para o autor? Você poderá a fazê-las nos comentários .
Iniciar trading
Em redes sociais
Chat "ao vivo"
Deixar comentário